O rio das mortes precisa de nós

Comentário veiculado na Rádio Globo em 22 de março de 2019

Hoje, 22 de março de 2019, é o dia mundial da água e a data nos convoca a refletir sobre nossos recursos hídricos e sobre um dos principais rios que cortam nossa região: o Rio das Mortes.


Esse rio vem sofrendo agressões sistemáticas há décadas. Essas agressões, generalizadas, estão paulatinamente retirando a vida do Rio das Mortes. O estrago é de tal ordem que já não é mais possível falar apenas em conservação e preservação, é preciso que se fale agora também em recuperação e reflorestamento da mata ciliar. Para se ter uma dimensão do desastre ambiental basta percorrer o rio utilizando a ferramenta de imagens de satélite do Google. O que facilmente se observa é a figura de um rio agonizante, sem suporte de flora e fauna, cercado por cidades que o invadem e cada vez mais erodido e envenenado, tanto pelo esgoto domiciliar como pelo industrial.

O fato é que o rio nunca foi tratado como tema central do debate político e social de nossa região. Foram raros os momentos em que a sociedade se escandalizou com a situação, o que ocorreu apenas pontualmente e em ocasiões extremas, como nos episódios de mortandade de peixes.

É preciso reverter esse destino. O primeiro passo é enxergar o problema e se importar com ele. Precisamos agir imediatamente para cessar a poluição, revitalizar o entorno e garantir a qualidade da água. O Rio das Mortes precisa de nós e quer viver.

Obrigado pelo seu comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s