Novo Fapi: Casa Nova, Vida Nova

Fapi3

Foto: Agência Minas – Governo do Estado de Minas Gerais

A inauguração do novo prédio da Escola Estadual Francisco Antônio Pires é um marco fundamental na história da educação barrosense. Depois de décadas como nômade, a escola finalmente ganhou um lar. O novo prédio, construído pelo Governo de Minas, oferece aos alunos mais comodidade, segurança, tecnologia e, o mais importante, novas possibilidades de aprendizado. O ambiente novo certamente despertará, na diretoria e nos professores barrosenses da rede estadual, o que eles têm de melhor: a capacidade de inovar e ensinar. Como forma de colaborar para este processo, gostaria de propor alguns pontos de reflexão para os barrosenses, em especial os educadores.

 

1)      Relação Aluno-Escola – O abandono escolar é triste realidade da educação brasileira. Segundo dados do Censo, em Barroso, no ano de 2010, 15,1% das crianças não estavam cursando o ensino fundamental e a taxa de conclusão do ensino médio, entre jovens de 15 a 17 anos, era de 78,1%. Esse problema está intimamente relacionado com a distorção idade-série. Em 2010, 1 em cada 5 barrosenses que cursavam o ensino médio estavam em idade superior à recomendada para a série. A realidade brasileira é a de um padrão curricular completamente anacrônico e descolado da realidade dos jovens. Isso provoca desinteresse e alimenta estatísticas negativas. Para reverter essa tendência é preciso provocar uma re-significação do ambiente escolar. É preciso despertar nos alunos o interesse pela escola e pelo processo de aprendizagem. Para que os jovens queiram permanecer no Fapi, inclusive e principalmente no contra-turno, a escola precisa conquistá-los com os atrativos certos. Um bom começo seria disponibilizar computadores para o acesso livre à internet e, com ainda mais ousadia, oferecer um sinal wireless sem restrição.  No plano dos esportes, a quadra precisa estar sempre disponível, bem como todo o material necessário. No universo da cultura, a escola pode oferecer seções de cinema e, com algum esforço, oferecer aulas de música para que os alunos montem suas bandas no ambiente escolar. Uma possibilidade seria construir parcerias com artistas locais e com a banda de música municipal para aulas e ensaios no interior do novo Fapi. No que tange ao lazer, a escola poderia mimetizar uma ideia que vem dos diretórios acadêmicos das universidades, oferecendo um espaço com sofás; sinuca; vídeo-game; jornais e revistas do dia, etc.

Além da remodelagem do ambiente escolar, faz-se necessária a reformulação do próprio processo ensino-aprendizagem. Uma proposta interessante seria seguir a linha do “Reinventando o Ensino Médio”, Projeto Piloto do Governo de Minas que vem revolucionando a educação no Estado. O novo Projeto Político-Pedagógico está fundamentado em uma noção de sinergia: escola-mercado-cidadania. Para mais informações, acesse: www.educacao.mg.gov.br

 

2) Relação Escola-Comunidade: O segundo desafio é fortalecer a integração entre escola e comunidade. Segundo a The Economist Inteligence Unit (www.economist.com), o efeito da participação dos pais na educação dos filhos é uma das variáveis explicativas mais importantes para o sucesso escolar. A família e a comunidade precisam se apropriar do universo escolar, freqüentar os recreios, participar das atividades do contra-turno. Ao longo dos anos, o prédio onde o Fapi estava  funcionando foi ganhando cada vez mais barreiras, físicas e simbólicas, dividindo alunos e professores, comunidade e escola. É preciso reverter esse processo. A escola ideal não possui muros, o pensamento deve ser livre, bem como devem ser livres os pais, alunos, professores e diretores. Ela deve manter as pessoas em seu interior pelo interesse que desperta e não pelas suas grades. Em hipótese alguma uma escola pode se parecer com uma cadeia.

 

3)      Relação Comunidade-Mundo: O terceiro desafio é levar o mundo à comunidade escolar. É preciso experimentar o que de melhor a tecnologia pode oferecer e perceber que existe um universo de possibilidades a ser explorado. A internet já permite o acesso aos melhores conteúdos e melhores materiais didáticos do mundo; permite a troca de experiências entre professores; permite testar os conhecimentos dos alunos em provas e competições virtuais, nacionais e internacionais; auxilia na escolha da profissão e do curso superior; oferece plataformas de ensino à distância e de estudo de línguas estrangeiras; entre milhares de outras possibilidades.

O momento especial de transformação vivenciado pela cidade, a partir do ensejo da mudança de endereço do Fapi, pode ser muito útil para despertar em cada um de nós, especialmente naqueles que vivenciam os ciclos básicos de aprendizado, o desejo de renovação. Espero que as sugestões aqui apresentadas sirvam para despertar suscitar o debate acerca das formas possíveis de melhoria da qualidade do ensino público. Os educadores barrosenses merecem todo o nosso respeito e admiração por terem conseguido, ao longo dos últimos 20 anos e apesar das dificuldades, elevar significativamente a qualidade de nosso ensino. Não restam dúvidas de que saberão aproveitar as novas oportunidades e animar a vida intelectual do novo lar do Francisco Antônio Pires.

Anúncios

Obrigado pelo seu comentário!

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s